cropped-Fotos-para-site-setembro-2016-5

Pelouro da Solidariedade Social

Ao longo deste mandato e no que ao pelouro da solidariedade social diz respeito, iremos pautar a nossa atuação pelo apoio concreto às famílias em situação de carência, em colaboração com as diferentes Instituições Sociais, adotando uma postura discreta e sigilosa como se exige quando lidamos com questões tão delicadas, como os problemas e dificuldades vivenciados pelas pessoas. É nosso intuito, manter o que tem funcionado bem e já faz parte da dinâmica deste pelouro, reajustando ou alargando o âmbito da sua atuação. O caráter de proximidade das Juntas de Freguesia com a população, é uma mais valia na prossecução deste propósito.

Dada a abrangência da área social e a multiplicidade de projetos e iniciativas que possam vir a ser concretizadas e de sinergias que possam ser criadas ao longo do ano, apenas iremos elencar algumas das atividades que pretendemos manter e realizar em 2018:

Dar continuidade e alargar o programa de envelhecimento ativo e saudável:

Disponibilização de aulas de Hidroginástica, Chi Kung, Yoga, ensaios do coro misto e apoio aos 2 grupos de marchas da Freguesia;

Ateliês diversos – desenho, pintura, costura, artesanato urbano, renda, aplicações, trapologia;

Programa de combate à infoexclusão – aulas de informática/Novas Tecnologias;

Realização de rastreios diversos e ações de sensibilização nas áreas da segurança, saúde, bens de consumo, novas tecnologias com o apoio de Instituições, Serviços e Escolas da Freguesia;

 Criação de um Grupo de Teatro;

Organização de visitas temáticas .

Manter em funcionamento o Centro Social Partilha e Saber Dr. Fausto Correia em articulação com o Gabinete de Ação Social da Junta de Freguesia. Para além do programa de alfabetização de adultos, manteremos o acompanhamento ao estudo a crianças de 1.º e 2.º ciclo e, no mesmo local, disponibilizaremos às famílias mais necessitadas roupas, calçado, louça, livros e brinquedos. Por sua vez, na sede da Junta de Freguesia serão atendidas e acompanhadas as famílias em dificuldade. De acordo com a avaliação que venha a ser feita e em articulação com as diferentes Instituições, poderão ser disponibilizados, entre outros, apoios económicos pontuais no pagamento de algumas despesas como sejam medicamentos, luz, água, gás, alimentos frescos, ou outras que se venham a revelar essenciais uma vez que cada pessoa, cada família apresenta necessidades e dinâmicas de vida diferentes.
O apoio abrange igualmente a disponibilização de mobiliário e ou eletrodomésticos usados que algumas famílias solicitam por não terem possibilidade de os adquirir. Neste ponto revela-se crucial o trabalho em rede entre as várias instituições sociais e/ou particulares que se disponibilizam para apoiar neste processo de ajuda.
A ajuda concreta aos seniores a viver sozinhos ou casal de idosos é uma das áreas onde pretendemos alargar a nossa atuação, numa primeira fase com a possibilidade de realizar pequenos arranjos no domicílio. A situação de carência económica terá de ser devidamente comprovada.
A articulação com a CMC no que ao programa de Teleassistência diz respeito bem como com a ESENFC, A ESTSC e o IPN relativamente à criação de equipamentos ou artigos para facilitar o dia a dia da população idosa será aprofundada nos próximos anos.
Também pretendemos alargar a atuação deste pelouro, em situações de emergência e quando não haja resposta por parte de outras Entidades. Falamos no caso concreto da necessidade de limpeza de uma habitação. Neste caso terão de estar reunidos um conjunto de critérios para que a Junta de Freguesia, com a colaboração dos trabalhadores da higiene, possa atuar.
Pretendemos criar protocolos com Instituições que venham a dar um apoio, com vista à integração dos desempregados no mercado de trabalho, dotando-os de capacidades que visem a sua reintegração e autonomização.
O apoio às Comunidades Lusófonas também será uma das preocupações deste Pelouro bem como o apoio às Instituições Sociais que desenvolvem a sua atividade na área geográfica da Freguesia.
Sempre que necessário faremos candidaturas a CEI ou CEI + do IEFP e aceitaremos estágios curriculares da ESENFC, ESEC, entre outras Escolas / Institutos com o intuito de alargar o âmbito de atuação da Junta de Freguesia nas suas diferentes áreas.
Daremos continuidade aos trabalhos da Comissão Social de Freguesia de Santo António dos Olivais e dinamizaremos atividades com os diferentes parceiros que a compõem.
Manteremos o protocolo já existente com o Instituto de Reinserção Social através do acolhimento de pessoas que têm de cumprir penas de trabalho a favor da comunidade.
Prosseguiremos com a campanha “Papel por Alimentos”, a recolha de manuais escolares e de brinquedos.
Entrega de Cabazes de Natal a agregados familiares mais carenciados com o apoio dos alunos que frequentam as atividades seniores e alguns patrocinadores.
As pessoas que nos procuram com um pedido de ajuda, merecem que haja da nossa parte um acolhimento discreto e sigiloso, sensibilidade na análise dos seus pedidos, descrição e respeito na disponibilização do apoio e um acompanhamento até que o mesmo se revele desnecessário. Não nos compete julgar, estigmatizar, rotular, humilhar mas sim ajudar a ultrapassar a situação minimizando os seus efeitos.

 

A responsável do Pelouro
Maria da Graça Marques de Oliveira