Carla Alexandra Gonçalves
4ª Sessão

É Professora Auxiliar na Universidade Aberta, Delegação Regional de Coimbra, onde lecciona desde 1999. É doutorada em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra desde 2006, onde apresentou a tese Os Escultores e a Escultura em Coimbra ─ Uma viagem além do Renascimento. Terminou, em 1996, o Mestrado em História da Arte do Renascimento e Maneirismo na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, com a apresentação da dissertação A obra do escultor e ensamblador maneirista Gaspar Coelho, “mestre que foy desta arte principal nestes tempos, neste Reyno”, publicada pela Livros Horizonte em 2000. Integrou o Centro de Estudos Históricos Interdisciplinares da Universidade Aberta entre 1999 e 2006. Fez parte do projecto europeu «Investigação, Inovação e Conhecimento», promovido pela Câmara Municipal de Óbidos, entre 2004-2007, como coordenadora do núcleo de Escultura. É, desde 2007, investigadora integrada no Grupo de Estudos Multidisciplinares em Arte (GEMA), do Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP/FCT/UC), Unidade de I&D-281.

Tem exercido actividade de curadoria, comissariado científico, produção e promoção científica e cultural em colaboração com várias instituições, nomeadamente, a Itinerários Contemporâneos Zero, Universidade de Coimbra, Museu Nacional de Machado de Castro e Direcção Geral do Património Cultural.

É autora de vários manuais universitários, livros, fichas catalográficas e artigos científicos nacionais e internacionais no âmbito da investigação diversificada que empreende, entre a História da Arte (particularmente no que concerne à escultura portuguesa entre os séculos XV e XVI), a Teoria da Arte, Sociologia da Arte, Psicologia da Arte, Fenomenologia da Percepção Visual e Corporografia. A sua intervenção materializa-se, ainda, como autora de mais de trinta artigos de crítica de arte (contemporânea) e difusão cultural, como colaboradora na (já expirada) revista Preguiça Magazine (Coimbra – Registo ERC Nº 126313).

O caso de uma obra excêntrica: o retábulo de S. João e de S. Martinho da abadia de Celas.

O grande objectivo desta palestra é apresentar o (que se conhece até agora do) retábulo de São João e de São Martinho, montado da sacristia da igreja da abadia de Santa Maria de Celas.

Esta peça, que tem vindo a ser atribuída a João de Ruão e datável dos anos 40 do século XVI, configura-se, na realidade, como um caso muito difícil e por investigar. De entre os tantos problemas que a peça suscita salientem-se os primeiros, ligados à sua iconografia, verdadeiramente incomum, e ao formalismo, que não assenta na lógica tipológica habitual para os retábulos coimbrãos do século XVI. A segunda questão que cumpre debater prende-se com a atribuição da obra ao trabalho do escultor e arquitecto João de Ruão. Na verdade, não se conhecem, até agora, registos que possam assegurar esta autoria. O caminho para a confirmação da criação terá de realizar-se no cotejo com outras obras do mesmo autor, pelo que se fará uma revisitação do corpus de obra para Santa Maria de Celas atribuído ao artista.

A terceira questão compromete-se com as anteriores: se esta peça não foi desenhada com esta configuração para apresentar-se na sacristia, de onde provirá e quando terá vindo a ocupar o espaço onde se fixa?

São estas inquietações maiores que articularão o trabalho que se pretende apresentar.  

INSCRIÇÕES

Oradores

Mª Helena da Cruz Coelho
1ª Sessão

Saber Mais

Luis Miguel Rêpas
1ª Sessão

Saber Mais

Maria do Rosário Morujão
1ª Sessão

Saber Mais

Saul António Gomes
2ª Sessão

Saber Mais

Catarina Fernandes Barreira
2ª Sessão

Saber Mais

Carla Varela Fernandes
3ª Sessão

Saber Mais

Miguel Metelo de Seixas
3ª Sessão

Saber Mais

Manuel Pedro Ferreira
3ª Sessão

Saber Mais